5 medidas de segurança que você deve ter antes de orçar um quadro elétrico

09/02/2018

 

Ainda é comum nos depararmos com notícias sobre acidentes e doenças diretamente relacionadas ao ambiente de trabalho, na qual muitos trabalhadores acabam ignorando ou mesmo não tendo o devido conhecimento sobre o real perigo e o que se pode fazer para mudar a rotina de cuidados. Qualquer que seja o porte ou segmento de sua empresa, conhecer as medidas de segurança e manter um ambiente seguro e saudável para os trabalhadores é o ponto chave para qualquer empresa que busca melhores resultados e parcerias confiáveis para o seu negócio, por isso, foram normalizadas medidas para garantir um ambiente mais seguro para todos os trabalhadores, e com as máquinas e equipamentos não poderia ser diferente.

 

Ter a certeza da segurança no local de trabalho é o primeiro passo para o crescimento, desenvolvimento e sucesso na produção de materiais e quadros elétricos, sendo assim, é importante destacar as principais medidas de segurança que você deve ter antes de fazer um quadro elétrico, afim de entender os riscos apresentados e então saber que precauções as empresas e empregados podem tomar para que a norma seja cumprida corretamente e não haja nenhum dano futuro.
 

1 - Relé de segurança 

Trata-se de um componente com redundância e circuito eletrônico dedicado para acionar e supervisionar funções específicas de segurança, tais como chaves e sensores de segurança, circuitos de parada de emergência, ESPs, válvulas e contatores, garantido que, em caso de falha ou defeito desses ou em sua fiação, a máquina interrompa o funcionamento e não permita a inicialização de um novo ciclo, até o defeito ser sanado.
 

Este deve ter três princípios básicos de funcionamento: redundância, diversidade e autoteste.

 

 

2 - Comandos em extra baixa tensão 

Máquinas e equipamentos que foram fabricados a partir de 24 de Março de 2012, onde os componentes de partida, parada, acionamento e controles que compõem a interface de operação das máquinas e equipamento devem:

  • Possibilitar a instalação e funcionamento do sistema de parada de emergência;

  • Operar em Extra Baixa Tensão ou ser adotada outra medida de proteção contra choques elétricos, conforme Normas Técnicas oficiais vigentes.

 

3 - Sensores e chaves de segurança 

As zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem possuir sistemas de segurança, caracterizados por proteções fixas, proteções móveis e dispositivos de segurança interligados, que garantam proteção à saúde e à integridade física dos trabalhadores.

Os sistemas de segurança devem ser selecionados e instalados de modo a atender aos seguintes requisitos:

  • Ter categoria de segurança conforme prévia análise de riscos prevista nas normas técnicas oficiais vigentes;

  • Estar sob a responsabilidade técnica do profissional legalmente habilitado;

  • Possuir conformidade técnica com o sistema de comando a que são integrados;

  • Instalação de modo que não possam ser neutralizados ou burlados;

  • Manterem-se sob vigilância automática, ou seja, monitoramento, de acordo com a categoria de segurança requerida, exceto para dispositivos de segurança exclusivamente mecânicos;

  • Paralisação dos movimentos perigosos e demais riscos quando ocorrerem falhas ou situações anormais de trabalho.

 

4 - Medidas protetivas de manutenção 

As máquinas e equipamentos devem ser submetidos à manutenção preventiva e corretiva, na forma e periodicidade determinada pelo fabricante onde, com potencial de causar acidentes do trabalho, devem ser objeto de planejamento e gerenciamento efetuado por profissional legalmente habilitado. Estas, devem ser registradas em livro próprio, ficha ou sistema informatizado com os dados necessários para o acompanhamento do cronograma de manutenção e demais observações pelo responsável pela execução das intervenções, na qual deve ficar disponível aos trabalhadores envolvidos na operação, manutenção e reparos, bem como à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA, ao Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho - SESMT e à fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego.

 

É importante destacar que, a manutenção, inspeção, reparos, limpeza, ajuste e outras intervenções que se fizerem necessárias devem ser executadas por profissionais capacitados, qualificados ou legalmente habilitados, formalmente autorizados pelo empregador, com as máquinas e equipamentos parados.

 

5 - Partidas e paradas no acionamento de máquinas 

O circuito elétrico do comando da partida e parada do motor elétrico de máquinas deve possuir, no mínimo, dois contatores com contatos positivamente guiados, ligados em série, monitorados por interface de segurança ou de acordo com os padrões estabelecidos pelas normas técnicas nacionais vigentes e, na falta destas, pelas normas técnicas internacionais, se assim for indicado pela análise de risco, em função da severidade de danos e frequência ou tempo de exposição ao risco.

 

Os dispositivos de partida, acionamento e parada das máquinas devem ser projetados, selecionados e instalados de modo que:

  • Não se localizem em suas zonas perigosas;

  • Possam ser acionados ou desligados em caso de emergência por outra pessoa que não seja o operador;

  • Impeçam acionamento ou desligamento involuntário pelo operador ou por qualquer outra forma acidental;

  • Não acarretem riscos adicionais;

  • Não possam ser burlados.

Os comandos de partida ou acionamento das máquinas devem possuir dispositivos que impeçam seu funcionamento automático ao serem energizadas.

 

Quer saber se sua empresa dispõe de todo o sistema de segurança necessário antes de orçar um quadro elétrico? Baixe nosso material completo de NR12 e descubra.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Rua Sérgio Sabel, 247. Ilha da Figueira.

|

(47) 2106-3300

|

  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

Copyright 2018 © SDS Automação. Automação Industrial

Financiamento